Auto de Natal 2010

2 Comments

21 de dezembro de 2010

Encerramento na terra natal

Nosso último destino do Auto de Natal 2010 – “Os Mares do Mundo”, foi onde tudo começou, São João da Boa Vista/SP!

Chegamos ainda na madrugada do dia 21 e após as poucas horas que tivemos de sono, logo às 10h fomos ao local da montagem, que aconteceu na antiga estação ferroviária, cenário da infância dos sanjoanenses do grupo.

Durante a manhã, montamos a estrutura e já deixamos tudo preparado, uma equipe de imprensa local fez uma reportagem conosco, e perto do meio dia fomos almoçar. A tarde, até as 17h tínhamos tempo livre e todos aproveitaram para conhecer melhor a cidade  e os locais que foram peça fundamental na história do Teatro de Tábuas. Infelizmente, não foi possível conhecermos o teatro onde Jorge e Daniel pregaram as tábuas do Teatro, há 11 anos.

Mas o casarão onde o grupo morava está lá, intacto, exceto por uma pintura ou outra, equipamentos de segurança e jardinagem, é o mesmo daquela época, de tantas histórias que nos são contadas pelos integrantes do grupo que lá habitaram.

Fachada do Casarão, residência inicial dos membros do Teatro de Tábuas

Nos sentimos muito a vontade desde o momento em que chegamos, era realmente como estar em casa.

Às 18h, o nosso ônibus chegou de Campinas/ SP trazendo todos os nossos colaboradores, funcionários e familiares para partilharem conosco de um breve coquetel de confraternização, podemos matar as saudades da família e de nossos companheiros cotidianos do teatro. Esse encontro contou com presenças muito queridas, como Priscila, que era cozinheira do teatro nos primórdios, o recém chegado Pedrinho, filho de Dani (membro do grupo), e a pessoa a quem deve-se tudo, “Seo Dudu” pai de Jorge.

Após o coquetel, o espetáculo começou e tudo correu muito bem, o público foi maravilhoso. Vibraram mais do que qualquer outro, os Leopoldi então nem se fala, ovacionações não faltaram. Fizemos toda a documentação de vídeo e, sendo assim, algumas cenas tiveram que ser refeitas após o término do espetáculo. Foi emocionante, não só por ser em São João e por termos espectadores tão especiais, mas também por ter sido nossa última, nossa despedida deste Auto de Natal e de alguns companheiros.

Nos despedimos dos Mares do Mundo já com saudades, a boa notícia é que Bartolomeu estará presente permanentemente no teatro em outras ocasiões.

Encerramos com chave de ouro nosso circuito Auto de Natal 2010 e ano que vem teremos muito mais para contar!

Até!

Bruna (atriz)


20 de dezembro de 2010

Na terra (quase) Natal

Mais uma parada inédita na história do Auto de Natal, e dessa vez, aportamos na cidade de São José do Rio Pardo/SP,  cidade de  grande parte do  grupo.

Embora estivéssemos desfalcados no elenco durante a viagem – pois Paula, Jana e Peterson já estavam em São José  à nossa espera -, recebemos um reforço de primeira, Manuela e Tássya estavam novamente  conosco e, dessa vez, trouxeram companhia, Melissa (sobrinha de Jorge também), Vanessa (atriz do grupo) e Pietrinha (filha de Vanessa e André), que vieram para alegrar nossa viagem.

Montagem do espetáculo na Praça XV

Na cidade, conhecemos a Fábrica de Expressão, que é onde Loi, Eduardo, André e Vanessa (todos membros do grupo) começaram a fazer teatro com Lúcia, amiga de Jorge.

Tudo montado e pronto, após algumas horas de passeio pela cidade e com um pequeno atraso, dado o sol que custa a se pôr para começarmos, o espetáculo começou!

Uma formatura estava sendo realizada bem em frente à estrutura, mas como o local era fechado, acredito que não tenhamos atrapalhado, inclusive algumas pessoas que estavam na formatura, aproveitaram a sacadinha que tinha para assistirem ao espetáculo de camarote.

O público nos surpreendeu, em plena segunda-feira e sem  muito tempo para a divulgação, a praça da matriz se encheu e com um público de aproximadamente 1 mil pessoas fomos muito bem recebidos! E no meio desse público, tivemos uma espectadora especial, Pâmela (ex-membro do grupo)  foi nos assistir e pudemos matar um pouco da saudade da mineira!

Após a apresentação, uma aposta foi satisfeita. Para quem me conhece (Bruna) sabe que não sou lá muito provida de altura, e sendo assim Eduardo insistia comigo desde a Bahia (onde a aposta foi feita) de que sua mãe, Regina, era maior do que eu, a aposta correu e praticamente todos do grupo estavam do lado dele, eis que ontem, foi tirada a prova, e para a infelicidade geral, no caso minha também, somos exatamente da mesma altura, o que prova que eu não sou assim tão baixa!

O jantar foi na casa de Loloi, e que feijoada maravilhosa, a mãe dela é uma exímia cozinheira e fez a nossa alegria!

Agora vamos em direção à São João da Boa Vista/SP, cidade onde o Teatro de Tábuas nasceu e cidade natal de Jorge, Peterson, Dani e Antônio (membros do grupo).

Até!

Bruna (atriz)


15 de dezembro de 2010

Campo Bom,  muito bom

Chegamos ao extremo sul de nosso roteiro! Antes de chegarmos a Campo Bom/RS, um almoço à beira mar e uma hora para aproveitarmos a praia, que era belíssima. A água era tão boa que até nossas companheiras que não sabem nadar se aventuraram no mar,  sempre acompanhadas , claro. Se bem que como estávamos na praia dos salva-vidas não seria lá um problema ter de ser resgatada, dada a formosura de tais, né meninas?

E o público, que chegou cedo, esperou até mais de 22h

Chegamos em Campo Bom um pouco em cima da hora, mas teríamos tudo sob controle, não fosse o infeliz imprevisto de que já tivemos o dissabor nessa turnê, nossa carreta camarim estava atrasadíssima, pois havia quebrado, de novo!

Esperamos e esperamos e nada dela chegar! Perdemos-nos nas horas, porque aqui em Campo Bom anoitece de fato às 21h e nem demos conta de que o público havia chegado ainda com sol forte.

Eis que nós estávamos reunidos esperando quando a carreta chegasse e ouvimos o público começar a bater palmas e comemorar. Lá estava ela, vindo em nossa direção. Assim que o motorista desligou o motor, uma força tarefa de mais de quarenta pessoas de nossa equipe, tal qual formigas, mais que depressa estávamos por todos os cantos e em um tempo absolutamente recorde, montamos tudo e estávamos prontos para começar.

O espetáculo foi muito bom, tudo deu certo, algumas pequenas falhas de texto, mas nada que não seja perdoável, dadas as circunstâncias que antecederam o espetáculo.

Uma equipe de filmagem local documentou o espetáculo inteiro, e enquando filmavam, projetaram em um telão em tempo real. Pela primeira vez, os atores que não estavam em cena nos determinados momentos puderam assistir partes da peça.

O público que esperou pacientemente e nos deu apoio, carinho e atenção foi muito participativo e simpático. Somos muitíssimo gratos a eles que não nos abandonaram pelo atraso e imprevisto, nem sequer reclamaram.

Agora o Bartira desfrutará de mais um breve intervalo no porto de Campinas/ SP e, dentro de alguns dias, mais estrada para os “Mares do Mundo”.

Até!

Bruna (atriz)

 

 

 

14 de dezembro de 2010

Florianópolis, pela primeira vez

 

Mais uma cidade inédita no percurso do Auto de Natal, Florianópolis/SC. Após exaustivas horas, praticamente sem nenhuma parada chegamos à Ilha e com uma noite fechada e com um chuvisco que não parava em momento nenhum.

Outra novidade que veio com essa nova cidade é que Manu e Tássya (filha e sobrinha de Jorge, respectivamente) nos acompanharão nesta e na próxima cidade.
Durante o dia, que começou cedíssimo para alguns, os membros do grupo dividiram-se e foram explorar a Ilha. Alguns foram à praia, à Lagoa da Conceição e outros  conhcer barcos de verdade que estavam ancorados na marina do hotel em que ficamos hospedado. Mas o chuvisco também no acompanhou por todo dia, até perto de quatro horas da tarde.
Nos dirigimos ao local da montagem e como tínhamos tempo de sobra, conhecemos o comércio local, as feiras de artesanato e tivemos um tempo para descontração.

Público compareceu em peso nas escadarias da Catedral Metropolitana de Florianópolis

O espetáculo começou, e a escadaria da Catedral estava lotada, com um público de cerca de três mil pessoas, que vibraram do início ao fim, e aplaudiam todas as cenas. Eles riram e se emocionaram com o espetáculo todo, quando Jorge foi fazer os agradecimenos finais quase não conseguiu falar pois eles não paravam de bater palmas. Foi o público mais caloroso e entusiasmado que tivemos, eles entraram na peça e nas lembranças de Bartolomeu de maneira única. Ah sim, e o gerador funcionou perfeitamente, ele fora levado ao concerto e está praticamente zero agora.
Logo de manhã, Natália e Felipe (atores do grupo) aproveitaram as poucas horas que tínhamos e foram conhecer direito a praia,  na volta, o taxista disse com um sotaque típico de Catarinos “Eram vocês que estavam na Catedral eram? Eu bem que passei por lá e vi um barco e pensei: “Mas que são os loucos que colocaram um barco em frente a Igreja?”. Infelizmente, como ele estava travalhando não pode ir nos assistir, mas disse que ouviu falarem muito bem.
Agora vamos descer até nosso último porto ao sul e amanhã estaremos no Rio Grande do Sul, um longo caminho a ser vencido por nosso grande Noel.
Até!

Buna (atriz)


 

 

12 de dezembro de 2010

E cá voltamos ao Mato Grosso do Sul

A cidade de Três Lagoas teria assistido ao “Mares do Mundo” no dia 26 de novembro, mas como já relatado em outro post, tivemos uma complicação em Pontes e Lacerda que acabou bagunçando  nossa agenda e Três Lagoas teve que ser alterada, portanto, cá estamos, voltamos e relembramos o calor tipicamente local.

Caloroso público de Três lagoas/MS marca presença no local de apresentação

Tudo corria perfeitamente bem, até que, exatamente na cena da Europa novamente o gerador falhou mais uma vez, dessa vez o problema demorou menos para ser solucionado pois nossos técnicos estavam de plantão.

Ao final da apresentação, a Prefeita Marina nos agradeceu e disse coisas lindas, ficamos muito felizes de termos sido tão bem recebidos e a alegria do público nos recompensa por todo  ”porém” que passamos.

Agora seguimos para Santa Catarina, muitos quilômetros a serem vencidos em um tempo não tão generoso, mas nisso temos experiência e vai dar tempo com certeza!

Até

Bruna (atriz)


 

 

10 de dexembro de 2010

Barra do Piraí/Ipiabas

Chegamos com grande folga de horário à Ipiabas, distrito de Barra do Piraí.

Tudo estava perfeitamente pronto e tivemos tempo de conhecer a cidadezinha, que é bem pequena mas muito aconchegante. Os membros da turnê se divertiram conhecendo uma loja que se chama “Muito Além do Jardim”, os produtos de artesanato são lindíssimos, até compramos lembranças para nossos saudosos entes que estão longe.

Equipe toda do Teatro de Tábuas se mobiliza durante a montagem do palco e cenário

Apesar do mau tempo ter nos acompanhado, não choveu e tudo correu bem. O público foi maravilhoso e nos agradeceu pela presença, isso não tem preço!

Estamos saindo doRio de Janeiro e seguindo para uma pequena pausa em Campinas/SP . Depois voltaremos à estrada e chegaremos ao Mato Grosso do Sul.

Até

Bruna (atriz)


 

 

09 de dezembro de 2010

E o (estado do) Rio de Janeiro continua…

Chegamos no início da tarde na cidade de Itaguaí, nosso primeiro porto no estado do Rio de Janeiro, com um espaço pequeno de tempo de folga, mas o suficiente para caminharmos pela Orla. Mais tarde, uma moradora local nos contou que por ali a água não era recomendável para banho, porque antigamente a área era um mangue, que se fundiu com o mar então nos aconselhou a apenas andarmos por lá mesmo.

Espetáculo começando em Itaguaí/RJ. Ao fundo, atores manipulam boneco

Tudo pronto e na hora, microfones testados, som passado, figurinos vestidos e começamos. Tudo corria muio bem até que na altura da cena da Europa o nosso gerador falhou, desligando toda a iluminação e som do espetáculo.

Os colegas que estavam em cena seguraram as pontas até que com poucos minutos de breu e silêncio, nossos mágicos, os técnicos, resolveram o problema e o espetáculo pôde seguir!

Agora vamos em direção à Barra do Piraí!

Até

Bruna (atriz)


 

 

08 de dezembro de 2010

Juiz de Fora

O Bartira aporta agora em Juiz de Fora/MG, logo que chegamos o tempo estava muito fechado, tememos que não seria possível fazer a apresentação, já que pela manhã, enquanto fazíamos o treinamento com o Jorge tivemos que interrompê-lo por que começou a chover, por sorte, algumas horas antes de começarmos, o tempo firmou-se e nada de chuva. Tudo correu bem com o tempo.

Vista aérea da montagem do espetáculo "Os Mares do Mundo"

Estávamos todos a postos e eis que nos demos conta de que por pequenos problemas o nosso ônibus tinha ido para o conserto, notamos um pouco tarde que não daria tempo de ele ficar pronto  e chegar com os instrumenos dos músicos e os microfones que tinham sido esquecidos dentro dele.

Apreensivos esperamos e quando finalmente o ônibus chegou, Ratão e Weslhey, nossos técnicos de som, tinham saído para jantar pois estavam sem comer desde a hora do almoço. Uma correria se instaurou,  André e Luiz (atores do grupo) tentaram ligar e conectar os cabos com um desempenho louvável, até que os técnicos chegaram e terminaram de resolver tudo, infelizmente não foi possível testar os microfone antes de entrarmos em cena, o que acabou resultando em falha de alguns, mas tirando esse pequeno fator, tudo correu bem.

Como a cidade é grande  foi comum que tivéssemos que tomar mais cuidado ao perambularmos pela praça onde aconteceu o espetáculo, mas somente por uma questão de precauções. Também por conta do tamanho o público foi um pouco menor que o de costume, mas ainda assim foi muito caloroso e receptivo.

Despedimo-nos de Minas Gerais e nos encaminhamos agora ao Rio de Janeiro.

Até!

Bruna (atriz)


06 de dezembro de 2010

Em Minas, direto do restaurante

Hoje, 6h da manhã e já estávamos de pé, a espera do nosso motorista Noel para seguirmos nosso rumo saindo de Campinas -SP em direção à Conselheiro Lafaiete/MG, nossa primeira cidade no estado de Minas Gerais, roteiro já conhecido pelo Auto de Natal.

Nesse momento, estamos no restaurante Sobrado, no centro da cidade, nossa apresentação acabou há poucos minutos, e estou atualizando o blog pelo iPad do Paul (baixista da banda Invisiveis Nus), acabamos de jantar e estamos mutíssimo satisfeitos, pois a apresentação foi excelente. Um tempo muito fechado nos ameaçou por algumas horas, mas como já havia chovido demais durante a tarde, entramos em cena confiantes de que mal tempo algum nos atrapalharia e, não deu outra, o tempo firmou e tudo correu bem.

Público compareceu em peso na cidade de Conselheiro Lafaiete

Logo antes de iniciarmos espetaculo, receamos que tivéssemos problemas, pois na praca em que aconteceu o espetáculo estava acontecendo a inauguração da casa do Papai Noel. Havia uma banda, que por descuido, acabou atrapalhando que Jorge desse alguns recados antes da peça, mas assim que a vinheta do Teatro de Tábuas começou, o silêncio se fez, e o público que estava disperso por conta da presenca do bom velhinho na praça, se aglomerou para ver os mares do mundo!

O público nos surpreendeu. A grande maioria eram criancas acompanhadas pelos pais e elas vibraram do início ao fim do espetáculo, riram, aplaudiram e até choraram. Depois da apresentação, um garotinho no colo do Marcelo (um de nossos técnicos) quis ir até o camarim para perguntar se o Capitão Caruzo havia mesmo morrido. Ele não queria que fosse verdade, para acalmar a criança, Luis (ator do grupo que interpreta o Capitso Caruzo) explicou a ele que era só teatro, e que o Caruzo não tinha morrido.

Agora vamos para Juiz de Fora, cidade em que apresentaremos amanhã.

Até

Bruna (atriz)


05 de dezembro de 2010

A falta de sorte em Itaí

Pela manhã, novamente fizemos o treinamento físico com Jorge, e foi ótimo, nos deu um ânimo a mais para enfrentarmos o dia que aparentemente estava ensolarado.

Um pouco antes do almoço, Romoaldo apareceu em seu traje caiçara e fez dois amigos, Enzo e Pietro, que não queriam mais desgrudar do boneco. Logo após o almoço, assistimos a um vídeo sobre palhaços que o Rubinho (títere da Cia Bonecos Urbanos) nos mostrou e, nesse momento, já notávamos um tempo bem fechado e torcíamos para que ele virasse até chegarmos no local da apresentação.

Infelizmente, pela primeira vez nesta edição de Auto de Natal, tivemos que cancelar a apresentação após esperar o máximo possível. A chuva não deu trégua.

Esperamos poder encontrar em nossa logística uma outra data para podermos atender à cidade de Itaí, que nos recebeu tão bem.

A cara do tempo que caiu sobre nós em Itaí

Até!

Bruna (atriz)

04 de dezembro de 2010

Piraju, a penúltima

Logo pela manhã, no Hotel Farol do Lago (onde ficamos hospedados) tivemos treinamento físico com o Jorge. Após o almoço, nos encaminhamos para o espaço da montagem da estrutura, ficamos impressionados com a região, tudo é muito bonito,  imagens lindas do rio ficarão em nossas memórias.

Tivemos um grande apoio da Prefeitura, que disponibilizou um camarim enorme para que pudéssemos nos maquiar e nos trocar, também nos ofereceu um lanche da tarde para antes da apresentação, fomos muitíssimo bem recebidos e nos sentimos em casa.

Em breve, este texto será editado para ser compartilhado com relatos que a Nat (atriz do grupo) está elaborando sobre o arvorismo que praticaram no hotel e o momento black out que aconteceu no espetáculo.

Vista do final da trilha do Arvorismo praticado pelos nossos atores

No mais, tirando esse momento black out que aconteceu na cena da dança espanhola, tudo correu bem. No jantar fomos acompanhados pela presença do André, representante da Duke Energy, nosso patrocinador nessa cidade, e o restaurante em que estávamos contou com nossos ilustres Cláudia e Oswaldo (nossos parceiros da Cia do Circo, malabarista e aramista, respectivamente), que soltaram as vozes e encantaram o restaurante todo cantando no final da noite.

Todos se divertiram bastante e esperamos que essa alegria continue nos acompanhando por todo o caminho que ainda temos pela frente.

Até

Bruna (atriz)

03 de dezembro de 2010

Chavantes e o rodeio novamente

Chegamos à Chavantes, cidade que já estava incluída no roteiro do Auto de Natal desde o ano passado, quando receberam  “A Casa da Riqueza” (espetáculo do Auto de Natal 2009), que também aconteceu no espaço da festa de Peão de Chavantes, dessa vez a 14 edição da festa.

Detalhe ecologicamente incorreto e absurdo: no meio da apresentação, entre uma cena e outra Loloi (atriz do grupo) saiu da coxia para ir ao camarim e notou que uma sacola pulava de um lado para o outro. Quando chegou mais perto para conferir, tinham amarrado um sapo dentro da sacola e jogado no terreno ao lado do barco, como ela estava com pressa por causa das cenas deixou o fato apenas de lado, mas não esqueceu, assim que acabou a apresentação ela e Douglas (um dos nossos técnicos, carinhosamente chamado de Bolachinha por parte da nossa equipe) socorreram o sapo, deixando-o livre novamente!

Espaço da festa de Peão e Mares do Mundo

Em meio à lama e a garoa que nos acompanhou até poucas horas antes do espetáculo, Manuela se divertiu no parque de diversões que havia instalado ali. O lugar, muito bonito, tinha também um lago, este de frente para o restaurante onde jantamos após a apresentação.

Tudo correu bem e a festa do peão pode seguir com suas atrações, o pouco público e levemente disperço foi muito caloroso e se emocionaram com as histórias que o Bartolomeu contou.

Até!

Bruna (atriz)

02 de dezembro de 2010

Mares do Mundo chega ao estado de São Paulo

Após uma breve pausa, em que pudemos retornar às nossas casas por alguns dias e rever os amigos e familiares que já sentíamos saudades, cá estamos nós novamente na estrada, e dessa vez com novidade: Manu (filha de Jorge, diretor do grupo) nos acompanhará por todo o circuito paulista.

Dessa vez o percurso se direciona ao estado de São Paulo, serão quatro cidades pelo interior do estado, começando por Ibirarema, uma novidade no caminho do Auto de Natal, pela primeira vez estaremos nessa cidade.

Tudo corria bem, durante a tarde fizemos um tour pela cidade e fomos conhecê-la melhor. Como o calor era muito Mateus nos levou até uma sorveteria e pudemos nos refrescar, ficamos espalhados pela praça onde aconteceria a apresentação mais tarde, lendo, fazendo exercícios, alongando, brincando com Manu e relaxando enquanto tínhamos tempo.

Mateus, nosso guia turístico em Ibirarema

Um ensaio técnico foi marcado para as 19h e já estávamos todos praticamente prontos às 18h, eis que, a chuva que ameaçava cair há várias cidades chegou e não só impediu que o ensaio fosse feito como atrasou nossa apresentação, que começou só às 21h.

No mais, tudo correu muito bem, fomos muito bem recebidos e assistidos, o público foi muito caloroso e carinhoso e há grandes possibilidades de voltarmos à Ibirarema no ano que vem!

Até!

Bruna (atriz)

27 de novembro de 2010

Itambaracá – PR

Encerramos o circuito Paraná na cidade de Itambaracá. Chegamos no tempo certo e enquanto a montagem acontecia, aproveitamos para conhecer um pouco a cidade, que era também bem pequena.

A espada do Bartolomeu criança desfacelou-se em uma das apresentações ainda no estado de Mato Grosso e precisava de reparos, infelizmente, as ferramentas que tínhamos levado para consertos e retoques não eram suficientes para deixá-la no estado necessário. E como era domingo, não seria possível achar um lugar que vendesse uma nova para que cenografássemos.

Eis que Anybool (figurinista e ator do grupo) passeava pelas ruas próximas ao Posto São José, onde aconteceu a apresentação, e viu na varanda de uma casa uma espadinha de brinquedo.

Nem pestanejou, bateu à porta da casa e explicou o dilema da espada para Dona Antônia, que era a dona da casa, a espadinha era de Léo, bisneto dela, que faz teatro na escola em que estuda e que é de Campinas/SP – onde fica a sede do Teatro de Tábuas – ao ouvir a situação, imediatamente nos deu a espadinha dele e ficou feliz por ter ajudado.

A espadinha emprestada por Léo, que salvou o Bartolomeuzinho

A apresentação foi um sucesso e o povo de Itambaracá adorou e pediu que voltássemos no ano que vem. Após o espetáculo, jantamos e voltamos à Campinas, onde teremos alguns dias para consertos e modificações. Na quinta-feira, dia 02, estamos novamente na estrada, dessa vez no estado de São Paulo, por onde faremos oito apresentações nas cidades paulistas.

Até

Bruna (atriz)

26  de novembro de 2010

Paraná, pela primeira vez

Pela primeira vez o Auto de Natal vai à Diamante do Norte, no interior do estado do Paraná. Nossa pré-produção já havia sido feita, por Renata (Produtora) e tudo correu muito bem desde que chegamos lá, houve um leve atraso da montagem, mas nada que nos afetasse.

Jana repassando o texto, antes de começar o espetáculo

Enquanto esperávamos, ajustes foram feitos: cenas foram remarcadas, e modificadas, músicas novas surgiram, alguns aproveitaram para repassar textos, fazer pequenas modificações. De maneira geral, aproveitamos algumas horas de tranquilidade para aprimorar alguns detalhes.

A cidade era bem pequena e muito bonita, as pessoas foram receptivas e gentis conosco, e mesmo sendo paraná, o calor lá estava. Como era dia de Missa de Primeira Comunhão, atrasamos o espetáculo, que começou às 21h para que todos pudessem estar presentes. E eles estiveram, foi uma ótima noite de Mares do Mundo!

Agora, ainda pelo Paraná, vamos para Itambaracá, outra cidade inédita no Auto de Natal, que esse ano foram possíveis pelo patrocínio da Duke Energy!

Até!

Bruna (atriz)

26 de novembro de 2010

A caminho…

Difícil postar sobre a viagem, ainda não chegamos ao estado do  Paraná, mesmo sem tempo para paradas longas, uma excessão foi concedida. Noel (nosso motorista) parou em um posto próximo à divisa dos estados, após dirigir a madrugada inteira ininterruptamente para conseguir chegar o mais rápido possível, ele havia marcado um encontro com sua irmã que não via há 40 anos.

Muito emocionado, ele reviu a irmã e conheceu as sobrinhas e a sobrinha-neta. Infelizmente, por apenas 50 minutos eles colocar a conversa em dia, o tempo era apertado para chegarmos à Diamante do Norte/ PR, nossa primeira parada e estreia na cidade.

Noel com sua irmã, 40 anos depois

Agora, pé na estrada novamente e parar só quando chegarmos ao destino!

Até!

Bruna (atriz)

25 de novembro de 2010

Aportamos em Porto Esperidião

Rio e as mangas

Velho companheiro inseparável nas circulações do Auto de Natal, o calor chegou junto conosco à Porto Esperidião/ MT, e como tínhamos algumas horas até o final da montagem, para que pudéssemos nos arrumar para a apresentação da noite, fomos até um riozinho que tinha ali por perto de onde estávamos.

O riozinho, além de muito bonito, era ótimo tinha até correnteza. Doroti e Janaína (atrizes do grupo) não pensaram duas vezes, subiram nos ombros dos colegas que as carregaram rio acima e rio abaixo.

Atores, músicos e dançarinos se refrescam por pouco tempo na cidade

Com o calor refrescado e com o horário dos preparativos chegando, fizemos o caminho da volta e notamos uma incrível quantidade de mangueiras, infelizmente, as mangas já haviam caído e não conseguimos pegar nenhuma. Eis que surgiu Wesley, um garotinho local que havia nos acompanhado até o rio, com uma sacola cheia de mangas maduras e deliciosas, que com a ajuda de Bruno, um garoto local, e a gentileza de nos trazer facas e sal, duraram cerca de apenas vinte minutos.

Rafa e a fanfarra

Rafael (ator do grupo) aproveitou os minutos que ainda tinha para ir conhecer um pessoal da escola “13 de Maio” que toca em uma fanfarra, lá ele teve um bate papo interessante com os adolescentes.

O público de aproximadamente 1.500 pessoas recebeu o espetáculo, e a nós, muitíssimo bem, aplaudiam entre as cenas e se emocionaram bastante.

Após termos jantado, e estarmos todos de banho tomado esperando apenas para irmos embora, apareceu Romoaldo, que foi à um bar próximo ao nosso centro de apoio,  e fez sucesso com os clientes que estavam por lá.

Agora deixamos Mato Grosso e rumamos ao Paraná!

Até!

Bruna (atriz)

24 de novembro de 2010

Enfim, Começa Mato Grosso

Com a certeza de que nada haveria de impedir que fizéssemos o espetáculo, iniciamos o dia bem. Logo após o almoço, fomos à escola 14 de fevereiro assistir ao ensaio aberto da peça “Caminhos da vida”, do grupo “Movidos pela arte”, de Pontes e Lacerda.

O diretor da peça e idealizador do projeto, Jorge Luis Braz, conversa com a imprensa local.

Foi muito interessante, uma honra saber que um dos personagens da peça foi inspirado na serpente que a Loi (atriz do grupo) fez no Auto de Natal de 2009, em Pontes e Lacerda. Todos nós gostamos bastante e após o ensaio, Eduardo (ator do grupo) e Natália (atriz do grupo) ficaram mais um pouco para fazer uma atividade de jogos teatrais com o pessoal.

No meio da tarde, lá estava nossa bela carreta chegando sã e salva, só levemente atrasada! Jorge e André chegaram junto com ela e o dia estava salvo! As montagens começaram imediatamente e nem o princípio de chuva algumas horas antes do espetáculo nos assustou.

A imprensa de Pontes e Lacerda é muito forte. A Record estava presente e as rádios locais também, demos diversas entrevistas ao longo do dia e depois do espetáculo.

O público de mais de mil pessoas ficou encantado e nos encantou. Tudo correu bem e ficamos muito satisfeitos.

Porto Esperidião ficou para amanhã por conta dos atrasos, então fechamos o estado do Mato Grosso amanhã às 20h!

Até!

Bruna (atriz)

23 de novembro de 2010

Aqui de Mato Grosso

Com um dia de antecedência, chegamos à Pontes e Lacerda/MT. Tudo indicava que teríamos uma montagem e espetáculo tranquilos, dada a antecipação com que estávamos a postos, somente a espera da noite do dia 23. Mas ainda na manhã deste mesmo dia, tivemos uma notícia que fez ‘desacalmar’ os ânimos, nossa carreta camarim, com o boneco, os figurinos e todo o equipamento de som, havia quebrado. Na melhor das hipóteses, chegaria até as 19h, o limite para que começar o espetáculo com um pequeno atraso.

Com as 500 cadeiras já posicionadas e o palco incompleto, todos da equipe estavam ansiosos, aguardando a chegada da carreta. Enquanto esperávamos, Illan, durante o aquecimento diário, ensinou ao pessoal alguns passos de dança, o que se tornou pequena coreografia.

Embora apreensivos, era difícil estragar o humor da galera. Eis que 18h, o que era possível estava pronto, às 19h, o sol começou a se pôr e, às 20h, um público de cerca de duas mil pessoas estava lá esperando. O relógio já indicava 21h e a carreta não iria chegar.

Infelizmente, adiamos a apresentação de Pontes e Lacerda/MT e transferimos o espetáculo para o dia seguinte, 24, no mesmo horário. Nossa próxima parada seria Porto Esperidião/MT, que por consequência, passou para o dia 25.

Break Brother arrasando no improviso

O público estava lá e nós não o deixaríamos tão desapontado, então de improviso, nasceu  um sarau de rua à base de bonecos, malabares e uma dupla de palhaços! Ao embalo do mestre de cerimômias Romoaldo, Break Brother, que mostrou sua ginga. Miriam e Cláudia (nossas parceiras da Cia do Circo) com seus malabares de clavas e de fogo e a dupla palhaça de Paul (baixista da banda Invisíveis Nus) e Rubinho (nosso parceiro títere da Cia Bonecos Urbanos)  acalmaram, encantaram e animaram o público maravilhoso de Pontes e Lacerda que lá ficou até o final.

Peculiares diferenças

E após o término do sarau, Messias Jackson, um morador local, ensinou  os passos do imortal Thriller, de Michael Jackson, aos nossos atores. Enquanto isso, no palco ao lado, nossos técnicos faziam uma amistosa competição de braço de ferro.

Apesar de todos os pesares deste dia, tudo correu bem e fizemos o melhor que podíamos para retribuir o carinho e compreensão dessas pessoas. O agradecimento maior virá amanhã, quando acontecerá a apresentação. E não há o que nos impeça!

Até!

Bruna (atriz)

20 de novembro de 2010

Despedimo-nos de Goiás

Pilar de Goiás é nossa última parada neste estado. O calor que tem sido um fiel companheiro de viagens,  manteve-se  forte como sempre. Instalados na praça central da cidade, enquanto nossos técnicos montavam a estrutura, a galera aproveitou para relaxar,  a grande maioria não resistiu ao creme de cupuaçu, alguns foram até uma cachoeira lavar a alma e outros se alongaram por um longo tempo.

Descontração e relaxamento na praça

Com o decorrer das horas o calor crescia, não mais que o volume do som dos carros que competiam sabe-se lá para o que. Irritação sonora e mental à parte todos sobrevivemos.

Antes de nos direcionarmos ao camarim para o momento maquiagem e figurino, um senhor veio falar conosco. Ele estava na estrada com a família, eis que passou por ele nossa carreta, ele imaginou que estivéssemos indo para Pilar de Goiás e resolver tentar a sorte, andou 150km com a família no carro e nos achou. Disse que assistiu ao Auto de Natal 2009 e ficou tão encantado que valia a pena ter arriscado nos procurar. Um outro, veio de Brasília (300 km) só para nos assistir.

Já quase na hora do espetáculo, mais uma vítima estomacal das mudanças de temperatura e temperos, dessa vez foi o Peter (ator do grupo) que foi atingido, mas por sorte chegou a tempo, e nesse tempo chegou também uma leve chuva que nos acompanhou até o final da desmontagem de tudo.

Tudo correu bem e o hotel dali da praça nos apoiou deixando nosso motorista Noel descansar por lá, permitiram que nós usássemos as salas e banheiros para o que quer que precisássemos até mesmo para protegermos os instrumentos musicais e microfones na hora da chuva.

Foi a nossa despedida de Goiás e agora rumamos para Mato Grosso.

Até.

Bruna (atriz)

19 de novembro de 2010

Aportados no norte de Goiás

Hoje o destino é Campinorte! Logo pela manhã fizemos uma visita à mineradora Maracá, da Yamana Gold. Conhecemos as minas, o processo de extração mineral do cobre e ouro. O lugar é muito diferente e conhecer os projetos da Yamana foi muito interessante. Almoçamos por lá e depois fomos para o hotel para nos prepararmos e irmos para a montagem.

Visita à Mineração Maracá, da Yamana Gold

Como hoje é sexta feira, é dia de jardim (quando o grupo se reúne), nós fomos no Ki-Açaí e fizemos nosso primeiro jardim na estrada, sem estarmos de fato em nosso jardim. Foi muito bom, todos sentem falta dos jardins. Depois fomos para a montagem que aconteceu em frente à Igreja. O Padre Antônio Luis nos abençoou e assistiu o espetáculo na primeira fileira e vibrou com tudo.

 

Após o término do espetáculo, um senhor da comunidade local, que no decorrer da apresentação ficou ao lado do Jorge (diretor do grupo), foi convidado por Jorge à dizer para todos o que ele havia dito ali, foi muito bacana receber o agradecimento tão sincero e os votos de sucesso e alegria que ele nos dedicou.

A saga “soro aos desidratados” continua, e dessa vez, nosso motorista Noel e o Gustavo (da Cia do Circo, que faz o doble no trapézio com a Paula que é atriz do grupo)  foram as vítimas. Todos já estão bem!

Até!

Bruna (atriz)

18 de novembro de 2010

A jornada goiana continua!

O dia começou com um grande sol à nossa frente e assim permaneceu, em um céu de um azul uniforme com sol e lua.

A montagem já estava praticamente completa quando chegamos ao Parque de Exposições Agropecuárias, onde aconteceu a apresentação, aqui, em Alto Horizonte/GO. O lugar é muito grande e encontramos peculiariadades que encantaram nosso querido Peter (ator do grupo), que pensou seriamente em levar como lembrança um porco e duas galinhas, que encontrou explorando o ambiente!

No meio da tarde, talvez pelo calor, ou pelos temperos (ou ambos) soubemos que Doroti (atriz do grupo) não participaria da apresentação desse dia. Ela foi ao hospital e tomou soro por algumas horas, o que a impediria de estar presente no horário da apresentação, portanto a apresentação teve um desfalque que, felizmente, pudemos contornar.  Sem dúvidas não foi a mesma coisa, pois ela é essencial. Mas agora ela já passa bem e para amanhã não terá problemas!

Aleluias e o Break

Assim que caiu a noite, uma nuvem de “aleluias” (aqueles insetos com asas grandes) se instalou por todas as partes do Bartira, principalmente onde havia iluminação. Os insetos ficaram grudando em nossos corpos, nas velas do barco e por todas as partes possíveis.

O espetáculo ganhou uma nova música para a hora em que Bartira sobe ao convés com o rebento nos braços. Um novo ritual que também ganhamos foi o de nos reunirmos novamente depois das apresentações para mantermos nossa energia, é o nosso axé final, que foi idéia do Rodrigo (vocalista da banda “Invisíveis Nus” que participa do espetáculo conosco).

O enxame de Aleluias que sobrevoavam a luz acesa

Ao chegarmos de volta ao Hotel Rotamérica, onde parte do grupo está hospedado, o BreakBrother (personagem boneco do Edu que dança hip hop) apareceu e nos mostrou seus novos passos, arrasando como sempre.

Até.

Bruna (atriz)

17 de novembro de 2010

O Bartira chega à Goiás!

Depois de três dias de estrada, muito calor e mudança de vegetação, clima, estrada, chegamos ao estado de Goiás! Nossa primeira cidade é Nova Iguaçu de Goiás.

O céu estava azul, uniforme, belíssimo, tinha até uma lua em plena tarde, eis que nos alertaram que por aqui, é assim, em um minuto um belo céu de brigadeiro, no seguinte, uma chuva de não ter fim. Mas felizmente, isso não passou de alerta e nada de chuva! Permaneceu o belo céu com um grande sol e um calor absurdo.

O Imediato Tronquilo (personagem interpretado por André) faz um sucesso indescritível com as crianças, por conta do paetê do seu figurino. Ele vira a atração assim que se veste e aparece, elas riem sem parar e sempre tentam encostar nele. O mesmo acontece com o Capitão Sedução (marinheiro feito por Loloi), as moças fogem dele mas as crianças em um misto de medo e curiosidade sempre querem chegar o mais perto possível. O cortejo encanta com as máscaras e vestes esvoaçantes.

A característica notória do Imediato Tronquilo em evidência enquando dança com a parceira Veneziana Doroti

Foi a estréia do Atila (ator do grupo). Ele e Edu (do Bonecos Urbanos) revesam na interpretação do Boneco do Capitão Bartolomeu, e foi a primeira vez em que o Atila interpretou-o. Foi lindo e tudo correu bem.

A cada dia que passa o espetáculo fica mais sólido e encantador, ainda temos melhorias a fazer,  mas está lindíssimo e cada vez melhor.

Agora temos mais três cidades aqui em Goiás: Alto Horizonte, Campinorte e Pilar de Goiás!

Até!

Bruna (atriz)

14 de novembro de 2010

Nos despedimos da Bahia: Jacobina

Desde o momento em que chegamos à praça Castro Alves,  encontramos conhecidos e amigos, muitos dos que participaram das oficinas do VIII Congresso de Arte e Educação, evento que fizemos em jacobina no mês de outubro, vinham nos perguntar de seus professores, a Nat até ganhou um presente de uma de suas alunas da oficina, vimos também Chica, uma baiana linda que presenteou a Loloi (atriz do grupo) com seus acarajés.

Sempre que nos via e assim como outros conhecidos de outras cidades, não  deixaram de notar “Aonde está Suiara?”, atriz do grupo que, infelizmente, não está presente fisicamente no Auto de Natal deste ano, e que faz uma falta mais que notável, mas ano que vem estará!

Partimos e deixamos nossos amigos de Jacobina para encontrar o público no estado de Goiás

Fato que vale ressaltar, por uma confusão de troca de Padres dias depois da nossa data em Jacobina ter sido fechada, aconteceu que haveria um casamento na Igreja da praça aonde aconteceu a apresentação e sendo assim, fizemos o espetáculo um pouco mais corrido, mas infelizmente a noiva não ficou muito satisfeita com chegar na Igreja e ver a grande estrutura de amsi de 10 metros do barco montada, de qualquer forma esperamos que o casamento dela tenha sido tão bom quanto o dia foi para a gente!

À noite, o pessoal do Bonecos Urbanos (grupo de teatro de Bonecos de São Paulo, nossos parceiros) fez um samba na praça, para fecharmos com alegria e já saudades da Bahia.

No dia seguinte, enquanto esperávamos para mudarmos as nossas direções, Romoaldo (personagem boneco do Edu da Cia Bonecos Urbanos), um surfista lá de Cabof (Cabo Frio), nos deu o ar de sua graça passeando pela praça, andando de bicicleta e conversando com Pilão (morador de rua), que todo ano está lá para nos assistir.

A famosa escadaria do Cruzeiro, com seus mais de quinhentos degraus, esteve presente na promessa de subida de quase todos, mas os únicos que acordaram cedo e encararam a subida foram Nat, Rafa e Illan, o restante de nós a conhecemos apenas por fotos.

Agora, três dias de viagem nos separam de nossa quarta cidade, no estado de Goiás, começando por Nova Iguaçú de Goiás!

Até!

Bruna (atriz)

13 de novembro de 2010

Nossa segunda cidade : Santa Luz – BA

Chegamos em Santa Luz e já ouvíamos um grande barulho, eram os carros de som que faziam a propaganda de dois eventos que teriam na cidade exatamente no mesmo dia e horário de nossa apresentação. Imaginamos um público menor em relação aos outros anos em que o Teatro passou por lá.

Dona Belinha, moradora de Santa Luz, de uma casa que ficava em frente ao local do espetáculo, gentilmente nos cedeu uma sala e um quarto para que pudéssemos nos maquiar e nos trocar, porque a Pousada do Val, que é onde ficamos hospedados, era um pouco longe do local onde nosso barco Bartira estava atracado.

Mesmo com dois evento na cidade, público compareceu para nos prestigiar

A apresentação teve um pequeno atraso, por culpa dos “cabeça de boi”, um espinho típico da cidade que tem em toda parte, furou os pneus do carrinho do nosso boneco e personagem principal, o Capitão Bartolomeu, impossibilitando assim que o manobrássemos como de costume. Felizmente, nossos técnicos sempre resolvem todo e qualquer problema, em minutos o carrinho já estava como novo.

Nessa apresentação optamos por modificar o início,  Jana, nossa atriz que abre o espetáculo, guia do veleiro Bartira, não ficará mais pendurada na proa, agora ela explora todo o barco.

O público nos surpreendeu, pois imaginamos o esforço que fizeram para estarem lá, tendo mais dois eventos na cidade. Tudo correu bem! E agora é só descansar e amanhã rumo à Jacobina.

Declaração de comemoração da Lili (atriz) hoje quando chegamos ao hotel : “Uhul! Meu primeiro banho quente desde que saímos de Campinas!”

Até!

Bruna (atriz)

12 de novembro de 2010

Começa o percurso do Teatro de Tábuas pelos Mares do Mundo: Teofilândia

Em uma sexta-feira de nuvens levemente carregadas, chegamos à cidade de Teofilândia – BA. Um chuvisco rápido e depois um belo sol para nos acompanhar no dia de montagem do palco e apresentação.

Público de Teofilândia/BA ficou encantado com a beleza do espetáculo.

Nilson, o secretário de cultura de Teofilândia, nos recebeu e foi um excelente anfitrião, cuidando de nosso café da manhã e hospedagem,  na Pousada “Tanque de Pedras”. Mais tarde, viemos a saber o motivo desse nome; na cidade existe, de fato, um tanque de pedras aonde as pessoas vão para nadar.

No meio da tarde, quando tivemos um tempinho de sobra, o Ronaldo, um garoto muito simpático de aproximadamente oito anos, nos levou até lá e tivemos alguns minutos de refrescância, porque estava muito quente.

Pouco antes de começarmos a nos arrumar, Illan, nosso gringo dançarino, ensinou alguns passinhos de dança para algumas crianças que estavam por ali desde a hora em que começamos a montar a estrutura.

A apresentação foi ótima, em um público de quatro mil pessoas, as crianças sem dúvidas são as mais encantadas e encantadoras.

Na volta para o hotel, uma sessão piadas com a Galinha do espetáculo “O Fim da Picada”, outra peça do Teatro de Tábuas, interpretada pela Natália, uma de nossas atrizes, com a ajuda do Edu, da Cia Bonecos Urbanos, fechou o dia.

Agora vamos a caminho de Santa Luz!

Até!

Bruna (atriz)

04 de novembro de 2010

Os Mares do Mundo: uma história de aventura e de grandes estruturas

Com a direção e dramaturgia de Jorge Luis Braz, o espetáculo os Mares do Mundo terá como narrador e personagem principal o Capitão Bartolomeu, um boneco de mais de 5 metros de altura, que será manipulado por 6 atores.

O capitão irá contar suas próprias histórias de natal, descrevendo suas andanças pelos portos do mundo e tramando um contexto das lindas histórias com desfechos surpreendentes.

A peça mistura várias linguagens – teatro, circo, dança, música, vídeo. A classificação é livre e a entrada gratuita, as apresentações são feitas nas ruas das 35 cidades participantes.

A estrutura desenvolvida pelo Teatro de Tábuas é inédita. Os atores, músicos, cantores, acrobatas e bailarinos irão contar as histórias do Capitão Bartolomeu em um barco de 10 metros de comprimento, sobre uma carreta. Serão 45 mil watts de som e 70 mil watts de luz.

Comunicação Teatro de Tábuas